Pisos Hospitalares: exigências e normas da ANVISA

pisos hospitalares

Quando pensamos em um hospital, uma das últimas coisas que vem na nossa cabeça são os pisos hospitalares. Mas você sabia que eles são essenciais para o bom funcionamento de um centro hospitalar? Prova disso é o fato da Resolução da Diretoria Colegiada (RDC) 50 da ANVISA definir obrigações para a instalação de pisos em hospitais.

Para o órgão, existem as chamadas barreiras primárias e barreiras secundárias. O primeiro tipo é desenvolvido especificamente para proteção biológica; enquanto o segundo, são projetados para serem aplicados no ambiente com a finalidade de evitar a contaminação por meio de agentes infecciosos.

O que a RDC 50 da ANVISA determina para pisos hospitalares?

Explicando melhor: a RDC 50 definiu que em áreas críticas e semicríticas, os pisos devem ter impermeabilidade menor ou igual a 4%. Além disso, indicam a utilização do piso vinílico em manta, uma vez que é um tipo mais econômico e duradouro.

Quais são as áreas consideradas críticas e semicríticas?

A área crítica é qualquer ambiente com alto risco de contaminação e infecção, como UTIs, salas de cirurgias, bancos de sangue e similares. Já a semicrítica, são lugares com risco menor, mas que ainda assim apresentam a possibilidade, como ambulatórios e enfermarias.

Para a segurança dos envolvidos, indica-se os seguintes cuidados:

  • Segurança biológica;
  • Assepsia;
  • Fluxo de pessoas;
  • Transporte de materiais;
  • Transporte de pacientes em camas adaptadas.

Para essas áreas, o revestimento do piso hospital deve ser resistente para que a limpeza com uso de produtos não comprometa a sua qualidade. Além disso, o piso deve ser monolítico, ou seja, não pode possuir emendas ou juntas – dessa forma, não acumula sujeiras e torna-se mais fácil de higienizar.

Ainda de acordo com a ANVISA, há uma proibição: não se pode usar cimento para o rejunte de peça em áreas críticas sem que haja um agente antiabsorvente, por causa do acúmulo de sujeira e chance de contaminação.

Locais que merecem atenção especial

Existem lugares do hospital em que é preciso ter atenção redobrada para garantir a segurança do local, são eles:

Escadas

As escadas do hospital possuem uma recomendação específica da ANVISA: o piso do degrau precisa de um revestimento antiderrapante, além de não possuir espelho vazado.

Rampas

As rampas seguem padrão semelhante às escadas: o material do piso não pode ser escorregadio, justamente para evitar qualquer tipo de acidente na área.

Rodapés

Os rodapés também necessitam de uma atenção especial, pois precisam permitir a limpeza completa do ambiente hospitalar.

A melhor opção de piso hospitalar

Diante de todas as exigências e cuidados estabelecidos pela ANVISA, o melhor tipo de piso hospitalar é o que apresenta alta durabilidade, resistência e fácil limpeza contra fungos e bactérias. Por isso, o ideal é investir no piso vinílico em manta para certificar a segurança do hospital.

Orçamento Rápido

telefone